Alan Moore e Kevin O’Neill Exploram as Loucuras de Lovecraft

Capa de Kevin O'Neill
Capa de Kevin O’Neill

A Devir foi a primeira editora brasileira a lançar os álbuns em quadrinhos da Liga Extraordinária, de Alan Moore & Kevin O’Neill. A série logo virou filme, turbinando no mundo todo o subgênero da ficção científica e fantasia conhecido como steampunk. Agora que Moore & O’Neil estão trabalhando com a americana Top Shelf Productions e a britânica Knowckabout, a Devir tem a oportunidade de voltar a publicar histórias dentro desse universo.

Moore é considerado um dos melhores escritores de quadrinhos da atualidade, e seu romance gráfico Watchmen (1988) é a principal referência desse formato, no mundo. Nemo: Coração de Gelo (Nemo: Heart of Ice) é na verdade continuação e spin-off da série original da Liga Extraordinária. A aventura é protagonizada por Janni Dakkar, uma filha da criação de Jules Verne, o Capitão Nemo.

Janni encabeça um elenco de personagens da literatura popular e da história dos século 19 e 20. Ambientada em 1925, a HQ abre com um ataque a instalações portuárias de um certo Kane – provavelmente aquele mesmo de Cidadão Kane (1941), de Orson Welles, clássico do cinema inspirado no magnata da imprensa William Randolph Hearst. O ataque acontece enquanto Kane recebe a misteriosa rainha Ayesha, esta claramente pinçada de Ela (1886), romance de mundo perdido de H. Rider Haggard (que, nas primeiras histórias da Liga Extraordinária, forneceu o aventureiro Allan Quatermain).

Entediada com o saque, Janni decide levar o submarino Nautilus até a Antártida, local do último paradeiro conhecido do seu pai. Enquanto isso, Kane contrata os mercenários Swyfte e Frank Reade, Jr. – herói de uma série de dime novels iniciada na segunda metade do século 19 – para caçá-la e aos seus homens com inventos mecânicos e armas de raios, entre as planícies e montanhas da Antártida.

No continente gelado, e enquanto sofrem baixas, Janni e seu pessoal vão parar nos restos da estranha e perturbadora civilização tecnológica antediluviana descrita por H. P. Lovecraft em sua novela, agora clássico do horror e da ficção científica, As Montanhas da Loucura (1931), no que acaba sendo uma aventura de mundo perdido. Mas com direito a outras referências, como uma esfinge que lembra o alienígena metamorfo (na sua forma meio canina, meio E.T.) de O Enigma de Outro Mundo (The Thing; 1982), o filme de John Carpenter baseado na noveleta de John W. Campbell, Jr.

Está claro que um dos principais aspectos desse álbum e dos outros trabalhos dentro da série são as referências a personagens reais e ficcionais, mas também a visões especulativas que ficaram no passado da ficção científica, da fantasia, do horror e da aventura. Nesse sentido, o contraponto perfeito do projeto de Moore seria um artista com a capacidade de produzir, no plano visual, alusões de maior precisão e textura do que o traço estilizado de O’Neill permite. Neste livro, porém, eu achei, a sua linha mais robusta, e as cores mais vívidas de Ben Digmagmaliw valorizaram bastante a sua arte.

Um belo álbum em formato grande e em capa dura, Nemo: Coração de Gelo fecha com um pseudoartigo de coluna social escrito por “Hildy Johnson”, ambientado na Ilha Lincoln, a base do Nautilus. É um contraponto irônico às lutas ferozes e às criaturas horríveis vista nas páginas do quadrinho. E mais ainda a outro aspecto central deste álbum – a subversão do caráter de muitos dos personagens ficcionais emprestados por Moore. A rainha imortal Ayesha pouco tem de romântica, Kane é basicamente um gangster, e o menino inventor Reade é um mercenário assassino. Conhecendo as tendências anarquistas de Moore, é possível ver aí uma crítica dele aos processos violentos que fundamentaram muito dos séculos 19 e 20 – e do admirável mundo novo que a sua cultura popular imaginou.

Novas aventuras de Janni Dakkar virão no futuro próximo.

–Roberto de Sousa Causo

Primeiro volume da Liga Extraordinária
Primeiro volume da Liga Extraordinária

Nemo: Coração de Gelo (Nemo: Heart of Ice). Texto de Alan Moore, arte de Kevin O’Neill. São Paulo: Devir Livraria, 1.ª edição, 2015, 64 páginas. Capa dura. Tradução de Marquito Maia. ISBN: 978-85-7532-596-4

Roberto Causo

Escritor de ficção científica e fantasia, autor dos romances "A Corrida do Rinoceronte" e "Glória Sombria", e das novelas premiadas "Terra Verde" e "O Par".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *