A Arte de Pedir e a Patrulha da Fraude

untitledA Arte de Pedir, da Amanda Palmer, foi um livro que realmente me marcou. Apesar de parecer, não é um livro de autoajuda, é uma autobiografia, contando como Amanda Palmer chegou onde está, os obstáculos que transpassou em seu caminho e todos os tombos que levou.

O livro é muito bom, e sua escrita intercala várias histórias do “passado” e “presente” da artista, enquanto escreve seu livro. Ela conta, por exemplo, das dificuldades de transformar seu TED Talk em livro, dos refúgios que procurou para escrever, assim como lembra da época em que era criança e fez amizade com um vizinho, psiquiatra.

Mas quem é Amanda Palmer? Um resumo bastante simplista, reducionista e machista seria dizer “ela é a esposa do Neil Gaiman”, e parar por aí. Ela é, por acaso, sim, esposa do Neil Gaiman. Mas ela também é Amanda Palmer, artista, cantora, compositora, escritora e tantas outras coisas, inclusive sucesso do crowdfunding para lançar músicas, um assunto bem polêmico que ela aborda em vários momentos de sua obra literária.

Confesso que não conhecia o trabalho dela quando li o livro, mas fui atrás das músicas, do Twitter dela, Facebook e tudo o que consegui, porque fiquei genuinamente encantada pela pessoa que tinha escrito o livro. Amanda Palmer me ensinou uma coisa ou outra com a vida dela, e é muito legal acompanhar suas postagens, inclusive sobre a maternidade, já que após o lançamento do livro, ela e Gaiman tiveram um lindo filho.

Sobre as questões que ela aborda no livro, é interessante pontuar duas: a questão de pedir, que está no título, e a questão de superar a Patrulha da Fraude. Ambas estão interligadas de alguma forma, uma vez que, para tomar coragem e pedir qualquer coisa que seja (até uma caneta para o colega de faculdade), você precisa superar a Patrulha da Fraude.

Em suas colocações, Amanda Palmer nos mostra que pedir não é errado. Seja um absorvente em um banheiro feminino, no dia que você esqueceu de levar, seja apoio para um projeto artístico/musical, para falar a verdade, qualquer coisa. Pedir faz parte das nossas vidas, e não faz de ninguém incapaz ou fraco, nem é atestado de incompetência. Na verdade, mostra muita humildade, como ela aprendeu sendo uma estátua viva em uma praça, logo depois de sair da faculdade.

Quando você toma coragem para pedir alguma coisa, sempre há possibilidade de ouvir um não, e devemos aprender a lidar com isso. Não é fácil. As críticas sempre vão existir, e não podemos deixar o medo delas nos paralisar, assim como não devemos deixar o medo nos paralisar diante da possibilidade do fracasso. Ou não realizaremos nada.

E é aí que entra a Patrulha da Fraude, que é como ela chama a famosa Síndrome do Impostor. Sabe aquela voz na sua cabeça, que diz que você não consegue, que não tem capacidade para fazer alguma coisa? Essa mesmo. Esse medo de não ser suficiente, de não conseguir fazer alguma coisa, de ser ruim, é a Patrulha da Fraude, segundo ela, que ameaça bater na sua porta e dizer que você não sabe o que está fazendo.

Quantas coisas você deixou de fazer por não acreditar que era capaz? Quantos projetos e ideias deixou de lado? Posso dizer que esse vídeo e texto foram projetos que quase não saíram. Adiei semanas e mais semanas escrever e gravar essa resenha, porque achava que não seria capaz de fazer algo legal. Que outras pessoas fizeram ou fariam muito melhor.

E, olha, tem vários vídeos e textos muito bons sobre o livro da Amanda Palmer. Deixo aqui o vídeo da Anna Shermack, do Pausa Para um Café, no qual ela discute o livro e ter coragem de pedir as coisas. Aproveitem e se inscrevam por lá, porque o projeto de discussão dela é muito bom.

Todos os dias temos que superar essa Patrulha. Quem sou eu para fazer um mestrado? Ter um canal no YouTube? Minha deusa, quem sou eu para escrever alguma coisa? São perguntinhas que todos os dias cutucam minha cabeça. E às vezes vencem. Às vezes, não. Em alguns dias, consigo derrotá-las, ligar a câmera e fazer um vídeo como esse (que, aliás, espero que gostem, assim como do texto).

A Arte de Pedir foi traduzido por Denise Bottmann e me alegrou muito ver que a revisão e preparação de texto também foram feitas por mulheres. Parece pequeno, mas achei importante, visto quem é Amanda Palmer. No Brasil, foi lançado pela Editora Intrínseca.

Foi um livro que, certamente, conseguiu me tocar de uma forma diferente, que me deu forças para tocar projetos engavetados e que, espero, possa ajudar outras pessoas. Se Amanda Palmer tem dúvidas de que ela é boa no que faz, também podemos ter as mesmas dúvidas. Se ela teve dificuldades de pedir ajuda ao marido em vários momentos, tudo bem, é ok. Só não podemos deixar esse medo nos paralisar.

Amanda Palmer. A Arte de Pedir (The Art of Asking). Tradução de Denise Bottmann. Editora Intrínseca, 2014.

Compre o livro na AmazonSubmarinoLivraria CulturaSaraiva – e ajude o site!

Gabriela Colicigno

Jornalista, ruiva, nerd, geek e louca por chocolate. Passa a maior parte do tempo do dia no computador, vendo seriados no Netflix, lendo um livro, ouvindo música ou brincando com os gatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *