O Jogo do Exterminador | Clássicos da Ficção Científica #4

jogo_do_exterminador_devirCom O Jogo do Exterminador (Ender’s Game, EUA, 1985), Orson Scott Card se tornou um dos poucos escritores da história a receber os dois principais prêmios da ficção científica pela mesma obra, o Hugo e o Nebula. O livro é centrado em Andrew “Ender” Wiggin, uma criança em uma sociedade mais ou menos distópica que sobreviveu a uma invasão de uma raça alienígena chamada de “Abelhudos”. Ainda muito jovens, crianças como “Ender” são enviadas para estações de combate no espaço onde elas treinarão para se tornarem os futuros comandantes caso uma nova invasão alienígena aconteça.

Ender será levado ao extremo pelos seus comandantes, aprenderá técnicas de combate e estratégia, fará amigos e inimigos e descobrirá segredos sobre a guerra contra os Abelhudos, enquanto tenta escapar da sombra de seu irmão psicopata, Peter, com quem ele compartilha muitas semelhanças.

O Jogo do Exterminador pode parecer uma aventura adolescente desprovida de originalidade, à princípio, mas é uma meditação poderosa sobre infância, juventude, violência, moral e éticas de combate. Mesclando aventura e jogos com questões existenciais, este talvez seja o mais importante, completo e atemporal trabalho de Orson Scott Card. O livro recebeu ainda três continuações: O Orador dos Mortos, Xenocídio e Filhos da Mente, todos publicados pela editora Devir. O Jogo do Exterminador ainda recebeu uma adaptação cinematográfica em 2013, estrelada por Asa Butterfield, Ben Kingsley e Harrison Ford. Apesar de ser divertido, o filme ainda fica muito aquém do livro original, mas é uma opção para aqueles que querem conhecer a obra.

Roberto Fideli

Jornalista e mestrando da Faculdade Cásper Líbero. Fanático por cinema, desenhos japoneses, fantasia e ficção científica. Seu sonho é ser piloto de naves espaciais, mas não tem coordenação motora para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *