Escape Room SP: Você Consegue Escapar?

Video games e filmes fazem grande sucesso por uma série de motivos. Um deles é trazer certos desafios para os usuários em inúmeros cenários. Um desses desafios, no caso, é uma corrida contra o tempo: uma hora para resolver todos os enigmas possíveis que uma sala trancada pode oferecer, resolver o desaparecimento de um cientista que descobriu fórmulas improváveis e ainda escapar desta prisão temporária antes que o pior de todos os finais se realize: perder. Um cenário desses já faria sucesso em muitos tipos de vídeo game, mas quando transferido para o mundo material, com você tendo que resolver esses desafios em pessoa, ele fica muito melhor.

Jogos de escape the room (“fuja do quarto”, em tradução livre) são muito comuns na internet, principalmente nas versões em flash, e encontrados facilmente em sites de jogos como Kongregate e Armor Games. Para quem não conhece, são jogos que se ambientam normalmente em um único cômodo (ou, às vezes, numa casa inteira), com uma pequena história como pano de fundo, e o principal objetivo do jogador é conseguir escapar. Há variações: alguns têm um limite de tempo, outros não; variações na temática também são comuns. Alguns se passam em um universo futurista, ou em um passado steampunk, por exemplo. Mas em geral, todos eles orbitam dentro desses mesmos preceitos e tem como objetivo final fugir de onde você está.

Escape Room Sala Lado B
Sala Lado B

Nos últimos anos, grupos passaram a investir nessa mesma temática mas com uma diferença muito importante: trazer os jogos pra um modo “ao vivo”. O primeiro Real-Life Room Escape Game (como esse tipo de jogo é chamado) foi construído no Vale do Silício, nos EUA, em 2006 e era chamado Origin. Os mistérios e desafios do game foram inspirados nos livros de Agatha Christie e ele rapidamente se tornou uma atração turística. Em 2008, Takao Kato levou o modelo para o Japão com o Real Escape Game e desde então este gênero de jogos se espalhou pelo mundo.

Minha primeira experiência com um escape room foi mês passado, no Escape Room SP, uma casa de jogos especializada neste gênero. Com um grupo de amigos, partimos para a Vila Mariana para tentar desvendar o mistério do cientista desaparecido. O final, para nós, foi de sucesso, mas perder não é um problema. Claro, todo mundo que entra na sala quer desvendar todos os enigmas antes que o tempo acabe, mas quando isso não é possível, o staff faz um debriefing no final do jogo para explicar todo o passo a passo dos mistérios e para você saber o quão perto o seu grupo chegou do final, assim você não sai da brincadeira com a sensação de que deixou algo passar.

O Escape Room SP é uma casa na Vila Mariana que adota esse modelo de Escape, focando principalmente em desafios lógicos e de raciocínio (pois cada casa de escape tem um estilo próprio em seus desafios). Os proprietários viajaram o mundo jogando diversas salas para descobrir o melhor (e pior) do gênero para então montar seu próprio estilo e trazê-lo para São Paulo.

Escape Room Sala Ateliê
Sala Ateliê

Os “quartos” dos quais você tem que escapar no Escape Room SP e em outras empresas desse tipo são cenários montados para serem completamente imersivos e não deixam um detalhe fora do lugar (a menos que o staff avise antes, por exemplo: na sala que joguei, fomos avisados que o mancebo servia apenas para guardar os casacos e mochilas e para não perdermos tempo com ele, e assim foi). Poder sair da tela do computador para ir para um espaço físico especialmente planejado para o jogo traz uma mudança quase indescritível em todos os aspectos: jogabilidade, imersão, história, envolvimento, desafio. Aqui não adianta sair clicando em tudo e ver o que acontece, não adianta pegar o celular e apelar para o Google; você precisa explorar, olhar, fuçar, tirar as coisas do lugar, mexer, fazer bagunça. Ter um grupo de amigos com você também torna a experiência ainda mais emocionante, com pessoas ao seu lado para trocar ideias, tentar novas teorias, explorar o local, entrar em desespero e, claro, comemorar as vitórias.

Lado B, a primeira aventura da casa (e a recomendada para jogadores iniciantes) começa com um vídeo, antes mesmo de você entrar na sala, e é através dele que você começa a ser imerso na história da qual fará parte pelos próximos 60 minutos. Dentro do quarto, a equipe de staff acompanha o progresso dos jogadores por meio de câmeras e uma tela dentro da sala mostra o tempo contando para os jogadores, além de eventualmente alguma dica que o staff possa mandar, caso vejam que os jogadores estão se distanciando demais da linha de raciocínio dos desafios (mas essas dicas são usadas com muita restrição, então não conte com elas quando você for jogar).

A outra sala do grupo chama Ateliê, em que você faz parte de uma equipe de peritos forenses que precisam investigar o misterioso dono do lugar e descobrir sua identidade. Eles também estão nos últimos preparativos para uma terceira sala, dessa vez com uma temática de terror, que deve ser inaugurada logo mais.

Escape room genêricoNo Escape Room SP não há nenhuma contra-indicação para pessoas que possam ter claustrofobia ou algum tipo de restrição de mobilidade mais leve, como gestantes, mas não posso dizer como isso funciona em outras casas de jogos desse estilo ou para pessoas com uma deficiência mais restritiva no quesito de mobilidade, como a paraplegia. Vale lembrar também que este não é um jogo de “susto”, então não tenha medo de participar mesmo que você não goste de filmes ou jogos de terror (a menos que você escolha uma sala temática de terror, claro). Na dúvida, sempre vale trocar uma ideia com o pessoal da empresa. No Escape Room Sp, eles já receberam amigos, famílias e até grupos de empresas.

Em conclusão, escape rooms são uma experiência extremamente divertida, estimulante e, com certeza, única. Não há um jogo de tabuleiro, video game, cartas, RPG ou qualquer outro que consegue sequer chegar perto da sensação de ser um ator dentro desses desafios e diretamente responsável por resolvê-los. Por isso, minha única sugestão é: se você tiver a oportunidade de jogar uma dessas salas, jogue e se divirta!

escape room sp lado b time
Meu time, logo após terminarmos a sala Lado B.

O Escape Room SP fica na Rua Bagé, 268, na Vila Mariana, próximo ao metrô Ana Rosa, e funciona durante os finais de semana e feriados, das 13h às 23h. É preciso reservar a sala com antecedência e fazer pagamento antecipado, o valor por pessoa para cada sala é R$79,90. Para mais informações sobre a atração, acesse o site oficial, curta a página do local no Facebook ou entre em contato pelos telefones (11) 4872-3481 e (11) 95328-1005.

Yolanda Moretto

Jornalista, geek, rato de biblioteca, gamer. Formada pela Faculdade Cásper Líbero, atualmente estuda Ciências Sociais na USP e trabalha com assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *