Lirael: de volta ao Reino Antigo

LiraelDepois de Sabriel derrotar Kerrigor, o reino vive anos de paz. Pequenos problemas surgem aqui e ali, mas o Abhorsen sempre está a postos para responder. O rei Pedra de Toque reconstruiu as Pedas da Ordem quebradas durante o período de trevas que atingiu o Reino Antigo e a Magia da Ordem governa novamente. Tudo parece bem, até que o Clayr, a linhagem vidente dos magos, deixa de conseguir enxergar o futuro próximo a região do Lago Vermelho.

Ao mesmo tempo, acontece uma guerra civil do outro lado do Muro, e os políticos querem transferir milhares de refugiados para o Reino Antigo. Fora que o número de Mortos e criaturas da Magia Livre começa a aumentar consideravelmente. Tudo isso parece interligado, mas ninguém sabe quem é o necromante por trás desses problemas. Na continuação de Sabriel, Garth Nix conta as aventuras de Lirael, uma integrante do Clayr que não possui a Visão, e sente-se completamente deslocada na Geleira, e de Sameth, o príncipe real que deveria ser o  Abhorsen-em-espera, teme entrar na Morte mais do que tudo nesse mundo.
De maneira espetacular, o autor australiano traz de volta o assustador, mas ao mesmo tempo encantador mundo mágico além do Muro e os personagens cativantes do primeiro volume. Mogget, o gato branco e ranzinza, está de volta, sempre dormindo depois de seu aprisionamento pelo sino Rannah. Também temos a companhia do Cão Infernal, uma criatura da Magia Livre e da Ordem ao mesmo tempo, além de ser o melhor amigo de Lirael.

Essa que, diferente de todas as suas primas e parentes na Geleira do Clayr, não consegue visualizar o futuro. Para ser útil, ela começa a trabalhar como Terceira Bibliotecária Assistente e descobre maravilhas e perigos dentro da Grande Biblioteca, com suas portas e caminhos infinitos. Escondido de todos, ela traz à vida seu amigo Cão e descobre vários feitiços há muito esquecidos.

Enquanto isso, Sameth é criado na Terra dos Ancestrais, em uma escola comum. No final do último ano letivo, ele e seus colegas de Criquet (confirmar) são emboscados por vários Mortos, trazidos de volta à Vida por um necromante poderoso. Ao entrar na Morte sozinho e salvar seus amigos, Sam é ferido e passa a temê-la fortemente. Ao voltar para o Palácio, por ordens dos pais, ele descobre que não consegue estudar a arte do Abshorsen, que consiste em penetrar na Morte e enviar de volta as criaturas Mortas ou da Magia Livre. Seus pais não param em casa, tentando resolver todos os problemas políticos no Sul, do outro lado do Muro.
O Clayr não consegue enxergar o futuro para saber o que ameaça o Reino. Mas envia Lirael em uma missão para encontrar um lugar onde caem muitos raios, e onde um necromante mantém mortos escravizados.

Como Abhorsen-em-espera, é necessário que Sam aprenda a controlar os sete sinos de um necromante e aprenda tudo o que puder do Livro dos Mortos. Ignorando tudo isso, Sam foge do castelo em busca do amigo Nicholas, que devia encontrá-lo no Muro para uma visita, mas resolveu seguir com um guia para a região do Lago Vermelho, que também é para onde se dirige Lirael.

Com uma narrativa intercalada entre os pontos de vista de Lirael e Sameth, Garth Nix consegue uma leitura fluida e divertida, sempre pontuada com personagens sarcásticos, comentários espirituosos e descrições incríveis dos lugares do Mundo Antigo. É praticamente impossível não gostar da aventura dos dois desajustados nesse livro que traz, novamente, uma excelente história de fantasia, unindo magia e terras desconhecidas, Morte, Vida e criaturas falantes. O livro é contagiante e mantém a atenção presa do começo ao fim. É difícil não querer ler “apenas mais um capítulo” e acompanhar mais da história. Dessa vez, o perigo que o Reino Antigo enfrenta é muito maior do que Kerrigor jamais teria sido. Seja lá o que está sendo escavado na região do Lago Vermelho, é algo que deveria ficar enterrado para sempre. Agora, Sam e Lirael precisam juntar suas forças, descobrir quem realmente são e parar o necromante que ameaça todo o mundo, não só o Norte.

Ficha: Garth Nix, Lirael (Lirael). Editora Rocco. Tradução: Chico Lopes. 440 páginas, R$ 40.

Gabriela Colicigno

Jornalista, ruiva, nerd, geek e louca por chocolate. Passa a maior parte do tempo do dia no computador, vendo seriados no Netflix, lendo um livro, ouvindo música ou brincando com os gatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *