No meio do Texas

tequila_vermelha_rick_riordan

Jackson “Tres” Navarre volta para sua cidade natal no Texas, dez anos depois do assassinato do pai. Ele recebeu um telefonema da ex-namorada da época de escola, pedindo que voltasse. Mesmo que vários anos tenham se passado, parece que a cidade não consegue aceitar com bons olhos a volta do filho do xerife morto à tiros na porta de casa. Ainda mais quando Tres resolve que vai bisbilhotar o caso, abandonado pelo FBI por falta de pistas.

Tequila Vermelha é o primeiro livro de Rick Riordan, famoso pela série infanto-juvenil Percy Jackson e os Olimpianos. Com um tom mais maduro, mas sem perder a ironia pela qual seus personagens são conhecidos, Riordan conta uma história quente, no calor do Texas, com personagens fortes e um enredo de tirar o fôlego.

Junto com seu simpático e bastante peculiar gato, Robert Johnson, o recém chegado Tres consegue arranjar briga assim que coloca os pés na cidade. Não bastasse brigar com o cara que insiste em não sair do apartamento que alugou, o pessoal do Departamento de Polícia da cidade não parece muito feliz em vê-lo de volta. Aliás, tirando sua própria mãe, a ex-namorada e uns dois amigos, ninguém parece muito contente em ter o filho do ex-xerife passeando em seu fusca laranja pela cidade.

Na pacata San Antonio, um dos crimes mais brutais fora esse assassinato do xerife. Porém, depois de muita investigação, o caso foi abandonado pelo FBI por falta de suspeitos. Tres não pretendia trazer de volta todas as memórias que tentara enterrar nos últimos anos, mas resolve encontrar respostas. E por mais que tente se afastar, parece que o caso sempre volta para assombrá-lo.

Depois de ser perseguido e tentarem matá-lo, ele percebe que fez perguntas demais às pessoas erradas (ou certas). Tres cutucou um vespeiro e agora precisa correr e fugir do que parece ser a máfia texana, responsável também pelo assassinato do pai. Para ajudar, a bela e ruiva Lílian, a antiga namorada, desaparece sem deixar rastros. E, aparentemente, a polícia não está nem aí.

Regado a tequila, o livro é extremamente viciante, com capítulos curtos, recheados de sarcasmo, personagens marcantes e intrigantes, além do humor inabalável de Tres. Não dá para não se apegar ao jovem meio perdido, com seu fusca laranja e um azar sem tamanho.

Num jogo político, que envolve policiais, grandes famílias, complexos de entretenimento, arte, fotografia e muita, mas muita mesmo, bebedeira, Tequila Vermelha consegue prender a atenção do começo ao fim, com reviravoltas surpreendentes, mas nada mirabolantes, que deixam o leitor ávido por saber mais e resolver o misterioso assassinato do xerife Navarre. Rick Riordan prova que sabe escrever também para adultos.

Rick Riordan. Tequila Vermelha (Big Red Tequila). Editora Record. Tradução por Gustavo Mesquita. 428 páginas

Gabriela Colicigno

Jornalista, ruiva, nerd, geek e louca por chocolate. Passa a maior parte do tempo do dia no computador, vendo seriados no Netflix, lendo um livro, ouvindo música ou brincando com os gatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *