Pequenas Editoras Sulistas Apostam na Produção Visual

Estive em Porto Alegre no fim de semana dos dias 10, 11 e 12 de abril de 2015, para a IV Odisseia de Literatura Fantástica – atualmente, o principal evento brasileiro de literatura de fantasia e ficção científica. Foi uma ótima oportunidade para conferir o trabalho de pequenas editoras locais que trabalham com ficção científica e fantasia, e cujas publicações raramente chegam até São Paulo.

Eu sabia pouco, por exemplo, do trabalho das Edições BesouroBox, que em anos bem recentes atraiu o trabalho de autores como Christian David, Simone Saueressig e Tabajara Ruas. Foi ótimo poder folhear os seus livros e conferir a qualidade do tratamento gráfico. O Filho do Açougueiro e Outros Contos de Terror e de Fantasia (2013), coletânea de contos de horror para jovens, de Christian David, conta com impressionantes ilustrações – do tipo manipulação fotográfica – de Marco Cena.

Já o trabalho da Editora Argonautas, de Cesar Alcázar e Duda Falcão, já era conhecido. Inclusive publiquei com eles a noveleta de ficção científica “Tengu e os Assassinos” na antologia Sagas Volume 4: Odisseia Espacial (2013), mas fiquei muito feliz em ver sua transição para um trabalho editorial de maior esmero e projetos visuais de interesse e originalidade, ao mesmo tempo que mantêm a cara da editora e seu vínculo com o pulp, os quadrinhos e o cinema B.

Capa: Daniel HDR
Capa: Daniel HDR

Esse vínculo está bem expresso em Request (2014), de Daniel HDR e coedição com o Dinamo Studio. Trata-se de um livro de arte do quadrinista gaúcho Daniel HDR, outro brasileiro que já trabalhou para as grandes americanas DC e Marvel. Produziu, por exemplo, material para X-Men Forever, Legion of Super-Heroes, Green Lantern Corps, Superboy, Infinity Man and Forever People, etc. No seu livro, o fã das HQs de super-heróis vai encontrar muitos dos seus favoritos, em imagens originais produzidas como commissions ou encomendas de fãs em eventos ou contato direto com o artista. A maioria dos desenhos, todos competentes e muitas vezes vibrantes, aparecem em traço e aguada de nanquim.

Mas é em Mausoléu (2013) que a Argonautas incorpora com maior engenhosidade a sua identidade editorial. O livro é uma coletânea de contos de Duda Falcão – um dos organizadores do evento e um dos diretores (com Cesar Alcázar) da Argonautas – originalmente publicadas em antologias das editoras Andross, All Print, Argonautas, Multifoco e Literata, entre 2009 e 2012 – 36 histórias, no total.

Na introdução, Cesar Silva, um dos criadores do fanzine Hiperespaço e do Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica, observa que Falcão tem como paixão declarada o período “weird da ficção fantástica, que leva esse nome devido à revista Weird Tales”, lançada em 1923 e na qual publicaram nomes de peso como H. P. Lovecraft, Robert E. Howard e Robert Bloch. Mas alusões pulp aparecem nas antologias da série Saga, da Argonautas, geralmente interpretadas com uma estética de quadrinhos.

A Argonautas produziu no design de Mausoléu a sua conexão mais estreita e espirituosa com a longa tradição de quadrinhos (brasileiros e estrangeiros) horror, ainda vívida na memória de muitos leitores da minha geração. O projeto gráfico de Roberta Scheffer contempla um “anfitrião macabro” (como aquele da revista Creepy, revisto recentemente nas compilações luxuosas editadas por Leandro Luigi del Manto para a Devir Brasil) desenhado pelo também artista da capa Fred Macêdo.

E como o horror desse tipo – com perfil clássico e citações a Edgar Allan Poe e aos monstros mais populares – também tem uma forte ligação com o cinema, na margem direita das páginas ímpares o leitor encontra o desenho de um morcego em voo, numa posição levemente diferente em cada página. Quem folhear o livro com a mão direita vê o morcego quase pousar em uma cruz de cemitério; quem o folhear com a mão direita o vê decolar.

Genial, no modo como o projeto gráfico amplia e expande os sentidos do texto e ao gênero a que ele pertence.

–Roberto Causo

Capa: Fred Macêdo
Capa: Fred Macêdo

Roberto Causo

Escritor de ficção científica e fantasia, autor dos romances "A Corrida do Rinoceronte" e "Glória Sombria", e das novelas premiadas "Terra Verde" e "O Par".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *